Pesquisar

Carregando...

sexta-feira, 3 de julho de 2015

PREFEITO RICARDO DE SÃO JERÔNIMO DA SERRA FAZ ENTREGA DE COBERTORES


Com a presença de representantes do Governo do Estado do Paraná, Vereadores, autoridades e comunidade em geral na sede do Cras, o Prefeito Ricardo Mello, fez a entrega de cobertores para pessoas carentes de São Jerônimo da Serra. O Programa "Espalhe Calor Neste Inverno" é uma campanha do Governo do Estado que através do PROVOPAR, está distribuindo cobertores para aquecer as famílias carentes do estado. 

PREFEITO XANDE DE NOVA AMÉRICA DA COLINA FAZ ENTREGA DE QUASE 2 MIL COBERTORES NESTA MANHÃ DE SEXTA,03



Com a presença de representantes do Governo do Estado do Paraná, Vereadores, autoridades local e da região, assessores do Dep Est Romanelli e comunidade em geral, que o Prefeito Alexandre Basso, o Xande, fez a entrega nesta manhã de sexta,03, de quase dois mil cobertores para pessoas carentes de Nova América da Colina.

Prefeito Xande disse que se sente honrado por representar seu município junto ao Governo do Estado e que através do Dep Est Romanelli, conseguiu junto ao Governado Beto Richa, entregar neste inverno, através, do Programa " Espalhe Calor Neste Inverno", os cobertores que irá aquecer todas as famílias carentes de Nova América da Colina.

Blog do Chaguinhas


Acidente com carro da Saúde deixa cinco feridos na BR-369


Cinco pessoas ficaram feridas na manhã desta sexta-feira (3), em um acidente entre dois carros na BR-369, no trevo de acesso a Santa Mariana. Segundo informações, a colisão foi registrada por volta das 9h45, em frente à Cooperativa Integrada, e envolveu um Fiat Uno, que pertence à Secretaria de Saúde de Andirá.

Todas as vítimas estavam no carro da Secretaria da Saúde, que foi atingido por um Fiat Strada de Santa Mariana. Os feridos foram socorridos e encaminhados à Santa Casa de Cornélio Procópio, porém, sem gravidade. O motorista da Strada não se feriu.

A s causas do acidente ainda são desconhecidas e serão investigadas.


Tanosite.com

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Deputados devem ir ao STF na terça-feira contra votação da maioridade penal

Parlamentares contrários à decisão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de ter retomado a votação da maioridade penal após uma derrota do tema, vão entrar com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) contestando o comportamento de Cunha na próxima terça-feira, 07. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira, 02, após uma reunião com deputados de diversas bancadas. 

O peemedebista Darcísio Perondi (RS), que é contrário à redução da maioridade penal e foi chamado por Cunha durante a votação da última terça-feira de "grande petista", disse que o mandado não pedirá que se julgue o mérito da questão, mas a atitude de Cunha. "Vamos contra a pedalada regimental", disse. 

Segundo o deputado Alessandro Molon (PT-RJ), o documento será assinado por parlamentares de vários partidos e está sendo preparado com cautela. "Queremos fazer uma coisa bem feita para ter êxito", disse. No caso da reforma política, parlamentares também entraram com um mandado de segurança para suspender a votação, mas o pedido foi negado pela ministra Rosa Weber. O novo documento, de acordo com petista, terá a assinatura de parlamentares de partidos como o PT, PMDB, PcdoB, PPS, PSOL e PSB. 

Molon exaltou as declarações do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Melo, e do ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, que disseram ver desrespeito à Constituição na ação de Cunha. "Vamos ter mais argumentos além da violação da Constituição, vamos mostrar que essa prática está sendo repetida reiteradamente", disse Molon. 

Hoje, à Radio Estadão, Marco Aurélio citou o artigo 60, parágrafo 5º da Constituição para criticar a nova votação. "Temos uma regra, em bom português, segundo a qual a matéria constante de proposta de emenda rejeitada ou havida por prejudicada não pode ser objeto de nova proposta na mesma sessão legislativa. Nesse período muito curto, de (menos de) 48 horas, nós não tivemos duas sessões legislativas, nós tivemos uma única sessão legislativa", afirmou. 

Já Barbosa usou sua conta oficial no Twitter para criticar a manobra do presidente da Câmara dos Deputados. "Matéria constante de proposta de emenda rejeitada ou havida por prejudicada NÃO pode ser objeto de nova proposta na mesma sessão legislativa", disse o ex-presidente do STF no Twitter. 

Tranquilidade 

Informado da intenção dos parlamentares de entrar com o mandado segurança no STF contra seu comportamento, Cunha se disse tranquilo. "Eles podem entrar, à vontade. Em primeiro lugar, isso é uma interferência num processo legislativo que não está concluído e, em segundo lugar, eles querem ir contra a maioria 323 votaram", disse, em referência ao total de parlamentares que aprovou a PEC que reduz a maioridade penal. 

O presidente da Câmara fez duras críticas ao PT e disse que o partido tem uma "pauta contra a sociedade". "Eu obedeço ao regimento e a contestação deles não tem tido nenhum êxito nos tribunais", disse. "Vamos mostrar que nós cumprimos rigorosamente o disposto do regimento e da Constituição."

Redação Bonde

Ex-vice-prefeito de São Sebastião da Amoreira terá de devolver remuneração ilegal


O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) determinou ao vice-prefeito de São Sebastião da Amoreira entre 2005 e 2008, Edson Gonçalves Marques, que restitua a remuneração recebida ilegalmente naquela gestão, devido ao acúmulo do cargo de investigador no mesmo período. 

A decisão foi tomada em razão de representação originada de uma denúncia à Ouvidoria do Tribunal, formulada por meio do Portal do TCE-PR na internet, sobre a existência da irregularidade referente ao acúmulo de cargos. 

A Diretoria de Controle de Atos de Pessoal (Dicap) do TCE-PR verificou que Marques, então investigador de polícia efetivo, exerceu, de 1º de janeiro de 2005 a 31 de dezembro de 2008, os cargos de vice-prefeito e de agente policial simultaneamente. 

Em sua defesa, o policial argumentou que o artigo 38, inciso II, da Constituição Federal (CF/88) veda o acúmulo de cargos para o prefeito, mas nada dispõe sobre o vice. Ele alegou, ainda, que nunca substituiu o prefeito no exercício de suas funções e que havia compatibilidade de horários entre os cargos. Por fim, Marques pleiteou a utilização das regras do artigo 38, inciso III, da CF/88, que permite o acúmulo de cargos para vereadores, nos casos em que haja compatibilidade de horários. 

A Dicap e o Ministério Público de Contas (MPC) opinaram pela devolução de uma das remunerações recebidas durante sua gestão como vice-prefeito, em razão do acúmulo inconstitucional de cargo efetivo e cargo eletivo. 

Ao fundamentar seu voto, o relator do processo, corregedor-geral Durval Amaral, destacou que a Constituição determina que o prefeito, quando investido no mandato, se afaste de cargo, emprego ou função, podendo optar por uma das remunerações. Ele afirmou, ainda, que o Supremo Tribunal Federal, por meio da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 199, fixou o entendimento de que a regra deve ser aplicada ao vice-prefeito. 

Os conselheiros votaram, por unanimidade, pela determinação de que Marques restitua o valor total referente à menor das duas remunerações recebidas no período de 1º de janeiro de 2005 a 31 de dezembro de 2008. A decisão foi tomada na sessão de 11 de junho do Tribunal Pleno. Os prazos para recurso passaram a contar a partir da publicação do acórdão nº 2581/15, na edição nº 1.145 do Diário Eletrônico do Tribunal de Contas (DETC) de 23 de junho.


Bonde

Romanelli e Beto Richa entrega de ambulâncias para municípios da região

Beto Richa e Romanelli

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Claudio Romanelli (PMDB), acompanhou nesta quarta (01), em Curitiba, os prefeitos de Bandeirantes, Celso Silva (PDT), Sapopema, Gimerson de Souza (PT), e São José da Boa Vista, Pedro Sergio Kronéis (PSDB), na entrega de ambulâncias para Samu e Siate pelo governador Beto Richa.

O evento ocorreu no Palácio Iguaçu e, ao todo, o governador Beto Richa assinou a liberação de 137 ambulâncias para mais de 100 municípios . Cada ambulância custou aos cofres públicos R$ 93,8 mil, o que totaliza investimentos de R$ 12,8 milhões.

“A saúde é sem dúvida uma das prioridades do governo do Paraná. Com as medidas que aprovamos no primeiro semestre na Assembleia Legislativa essa área fundamental receberá ainda mais investimentos, principalmente os municípios de pequeno porte, que precisam ainda mais da ajuda do governo”, disse Romanelli.

Os prefeitos destacaram a importância dos equipamentos para o atendimento à saúde na região. “Com a ambulância garantimos mais mais conforto e segurança para os pacientes que fazem tratamento em outras cidades”, disse Gimerson de Souza, de Sapopema, pensamento compartilhado pelo prefeito de São José da Boa Vista, Pedro Sergio Kronéis. “Com mais esta ambulância conseguimos um atendimento rápido e eficiente”. “É um importante recurso obtido através desta parceria que temos com o Romanelli que representa diversas pautas do município junto ao governo”, completa o prefeito de Bandeirantes, Celso Silva.

“Estamos investindo vigorosamente em saúde pública para melhorar as condições de atendimento à população do Paraná”, afirmou Richa. “Estas novas ambulâncias oferecem as condições para que os municípios, consórcios de saúde, hospitais, Samu e Siate garantam qualidade e agilidade no atendimento dos pacientes”, lembrou o governador Beto Richa.

Prefeito Celso Silva de Bandeirantes e Romanelli

Prefeito Sergio de São José da boa Vista e Romanelli

Prefeito Gimerson de Sapopema e Romanelli

Prefeito Zé Maria de Santa Cruz do Monte Castelo e Romanelli

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Saiba quem são os 24 denunciados na Operação Ferrari

Divulgação/PF
O Ministério Público Federal (MPF) no Paraná denunciou, na última semana, 24 pessoas por crimes de tráfico internacional de drogas, organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e supressão de documentos. As denúncias foram oferecidas à 14ª Vara Federal de Curitiba, em consequência da Operação Ferrari, deflagrada no dia 15 de junho. 

De acordo com o MPF, os crimes foram cometidos sob o comando ou em benefício dos quatro líderes da organização criminosa: Alexandre Teodoro de Souza, Manoel Fernandes da Silva, Éder Adriano Banzatti e Valdeci Vieira da Costa. Os três primeiros viviam em Londrina e Costa em Hortolândia (SP). A organização criminosa agia no tráfico de drogas havia pelo menos 10 anos e a denúncia especifica fatos criminosos comprovados que aconteceram em 2014 e 2015. Segundo o que foi apurado nas investigações, o patrimônio avaliado da organização já ultrapassa os R$ 40 milhões. 

Em linhas gerais, o modus operandi da organização consistia no seguinte: importação de pasta de cocaína do Peru e da Bolívia (via Paraguai); aquisição da droga e insumos necessários para o refino da matéria-prima e adulteração do produto final (cloridrato de cocaína) em laboratórios de São Paulo e Bahia; transporte da droga; distribuição ao núcleo comprador (localizado em Salvador/BA); transporte dos pagamentos, em espécie, ao núcleo comprador (utilizando aviões de carreira, inicialmente, e depois em veículos leves); ocultação, dissimulação e integração do dinheiro ilícito por meio de empresas de fachada e laranjas (lavagem de dinheiro); suborno a policiais do estado de São Paulo; e supressão de documentos e objetos relacionados aos crimes. 

Entenda a Operação Ferrari 

A Operação Ferrari teve como principal objetivo desarticular cinco núcleos de organização criminosa envolvidos com tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro em 15 municípios dos estados do Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Bahia e Sergipe. 

Na deflagração da Operação, participaram 300 policiais federais e 28 servidores da Receita Federal do Brasil, que deram cumprimento a 49 mandados judiciais, sendo 20 mandados de prisão preventiva, 22 mandados de busca e apreensão e sete mandados de condução coercitiva. Os mandados de prisão, busca e apreensão foram pedidos pelo MPF/PR e autorizados pela 14ª Federal de Curitiba. 

De acordo com informações da Polícia Federal, durante a operação foram apreendidos R$ 634 mil em dinheiro, R$ 460 mil em cheques, 42 veículos de luxo, dois reboques, 27 caminhões, duas motos importadas, 37 celulares, uma arma, e 91 relógios e joias. 

O nome da operação é em alusão ao estilo de vida luxuoso que os criminosos mantinham. Eles são proprietários de casas em condomínios horizontais de alto padrão em Londrina, empresas para lavagem de dinheiro, automóveis importados e embarcações de luxo – tudo, de acordo com a Polícia Federal, fruto do tráfico internacional de drogas. Todos os presos foram conduzidos a Curitiba. 

Confira o nome dos denunciados: 

Adib Kadri 
Alexandre Pereira 
Alexandre Teodoro de Souza 
Anderson Eduardo Cruz dos Santos 
Clayton Ribeiro da Silva 
Cristiane Rodrigues 
Daniel Dias Lopes 
Éder Adriano Banzatti 
Fernanda Marcussi 
Jairo Alves Costa 
Jean Carlo de Moraes 
João José Diogo Júnior 
Júlio César Teodoro de Souza 
Kleber Antônio Sandaniel 
Leonardo Barbosa de Souza 
Luís Fernando Pachelli 
Manoel Fernandes da Silva 
Maurício Santos Cavalcante 
Nasser Kadri 
Sérgio Baptista 
Simone Cavalcante de Assis 
Thiago Sandaniel 
Valdeci Vieira da Costa 
Vanderlino Rodrigues dos Santos 


(As informações são do Ministério Público Federal)