Pesquisar

Carregando...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Economia é palavra de ordem nas prefeituras

Devido à situação difícil que os municípios vêm enfrentando por conta da queda dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) por parte do Governo Federal, os prefeitos devem adotar medidas de economia que permitam fazer frente aos salários do funcionalismo de novembro e dezembro e do 13º salário. A decisão foi tomada na última semana, durante a reunião da Associação dos Municípios do Norte do Paraná (Amunop), em Cornélio Procópio. 

"Estamos com o ‘pires na mão’. Essa divisão do bolo tributário é injusta e cruel para os municípios pequenos que são a grande maioria. Foi um ano extremamente difícil para as prefeituras, com sucessivas quedas na arrecadação devido à queda dos repasses do FPM, com as necessidades e demandas aumentando cada vez mais. Estamos passando o chapéu, mas os prefeitos, com criatividades, buscam alternativas para fazer mais com menos", resume o prefeito de Bandeirantes e presidente da associação, Celso Silva (PDT). 

De acordo com o presidente da Amunop, uma das alternativas apontadas é o recesso de fim de ano nas prefeituras com o objetivo de diminuir despesas, como já faz boa parte delas nesta época do ano. "É o momento que aproveitamos para dar um descanso aos servidores, permitindo ainda que as prefeituras cuidem da manutenção dos maquinários e veículos, mantendo apenas os serviços básicos como limpeza pública, saúde e outras demandas de cada administração", afirma Silva. 

Alguns prefeitos definiram um novo horário de atendimento para a população e redução dos serviços que podem esperar. "No nosso caso, vamos atender das 8 às 14 horas", informa o prefeito de Nova Fátima, Nilson Xavier (PDT). Os prefeitos aprovaram ainda um documento que será enviado à Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR), solicitando detalhes da implantação do Campus Norte Pioneiro da instituição. Como o processo foi paralisado em consequência das eleições, os chefes do Executivo solicitaram uma posição da entidade. 

O presidente da Amunop informa também que a eleição para a nova diretoria da entidade ocorrerá no dia 18 de dezembro. Celso Silva afirma que não pretende concorrer novamente ao cargo. Os prefeitos têm até o dia 8 de dezembro para registrar uma chapa. Os prefeitos de Assaí, Luiz Alberto Vicente (PSDB) e de Cornélio Procópio, Fred Alves (PSC) manifestaram interesse em participar do pleito.
Marcos André de Brito
Especial para a FOLHA

A mídia em nossas vidas: Informação ou manipulação ?

A população é facilmente influenciada pela mídia não só no Brasil mas no mundo, principalmente quando está relacionada a novelas e a noticias envolvendo a politica de um modo geral. Nestas, heróis nacionais são criados – ficcionais ou não. Acaba uma novela e inicia outra e os modelos de comportamentos, beleza, moda e outros vão se alterando. Mudam os personagens, a trama e os assuntos abordados e a sociedade vai respondendo a este estímulo produzido. Os padrões difundidos são copiados e seguidos, porém, as pessoas não conseguem adaptá-los a uma vida real, o que gera ansiedade, angústia e frustração, na política ela influencia o voto muda o jeito de pensar de uma sociedade colocando e vinculando fatos da maneira que lhe com vem só destacando o lado ruim e nem sempre o lado bom da noticia, por que noticia boa não da Ibope. 

Quando ouvimos falar que a mídia representa "o Quarto Poder" em uma nação, é preciso avaliar como isso é verdade e o quanto estamos sujeitos a ela e a todas as suas variáveis. A mídia influencia as pessoas no modo de agir, de pensar e até no modo de se vestir. Ela cria as demandas, orienta os costumes e hábitos da sociedade, além de definir estilos, bordões e discussões sociais. A mídia dita as regras, as tendências, os padrões de beleza, os ídolos a serem adorados e seguidos, os vilões que temos que odiar ou julgar sem mesmo saber ou conhecer, simplesmente por que a mídia assim coloca impondo padrões de beleza cada vez mais inatingíveis. E impulsiona homens e mulheres em busca daquele corpinho que só o photoshop sabe produzir faz um demônio virar um anjo e um anjo virar um demônio.

Contudo, além de não podermos subestimar o poder da influência da mídia na vida das pessoas, também não podemos ignorar a importância desta caso seja utilizada de forma mais ética e consciente. Quero dizer que o poder que os veículos de comunicação têm para mobilizar as pessoas é muito grande e pode ser usado para o bem ou para o mal.

sábado, 22 de novembro de 2014

Avaranda Lounge Bar Apresenta.... SERTANEJO PARA ELAS



Avaranda Lounge Bar Apresenta.... SERTANEJO PARA ELAS, Sábado dia 22 de Novembro, show com a dupla que mais se destaca no estado do Paraná... Caio e Adalberto, tocando todos os ritmos...Você não pode perder !!!

Convites e mesas Limitados.
1º Lote (50 convites) 
ELAS: R$: 5,00
ELES: R$: 10,00

Maiores Informações
Whats: (043) 9137-3683 / 3267-1360

TCE determina devolução de R$ 317 mil de convênio da Prefeitura de Santa Cecília do Pavão

A Prefeitura de Santa Cecília do Pavão (57 km de Londrina) e o Provopar Ação Social tiveram as contas de convênio entre os órgãos em 2008, consideradas irregulares. Com isso, o ex-prefeito Edimar Aparecido Pereira dos Santos e a ex-presidente do Provoar deverão restituir de forma solidária, os R$ 317.350,00 do convênio, devidamente corrigidos.

Segundo informações do TCE, esse montante foi transferido para desenvolver ações de assistência médica e social a famílias carentes, além de manter o Centro de Educação Infantil Policena Maria de Mello e o Centro de Atendimento à Criança e ao Adolescente.

O TCE, além de determinar a devolução do dinheiro, também aplicou multas administrativas aos responsáveis pelo convênio, comando R$ 10.155,96. O ex-prefeito Edimar dos Santos recebeu duas multas, de R$ 1.450,98 cada, pelo não acompanhamento e fiscalização do convênio e por tê-lo celebrado com entidade presidida por servidora municipal.

Já a presidente do Provopar à época, Leonice Machado Santos Morales, foram aplicadas três multas, sendo duas de R$ 1.450,58 cada e uma de R$ 2.901,06, por não cumprir o objetivo do convênio, não utilizar conta específica e pelo fato de o Provopar, que recebeu os recursos, ser presidido por uma professora municipal. Também houve aplicação de multa à gestora da entidade em 2009, Maria Leiza Gavioli, de R$ 1.450,00, pelo atraso superior a um ano na prestação de contas da transferência recebida pelo Provopar.

A desaprovação das contas ocorreu por conta da existência de salto anterior na conta específica do convênio, da movimentação de recursos estranhos ao objeto conveniado nessa conta, da não comprovação das despesas realizadas com os recursos repassados, da falta de restituição ao cofre municipal do saldo final do convênio, e da transferência ter sido realizada para entidade presidida por servidora municipal.

O conselheiro do TCE e relator do processo, Fernando Guimarães, fundamentou seu voto dizendo que a restrição mais grave apontada pela Diretoria de Análise de Transferências (DAT), é referente à não demonstração da adequada utilização dos recursos recebidos pelo Provopar. Para ele, não há indícios do tipo do bem ou serviço prestado, da forma e data do pagamento, ou qualquer outro elemento que permita relacionar as despesas à execução do objeto do convênio.

Os demais conselheiros da Primeria Câmara, acompanharam o voto do relator, no dia 21 de outubro, de votar pela irregularidade das contas, acatando instrução da DAT e parecer do Ministério Público de Contas (MPC). As partes citadas podem recorrer da determinação após a publicação do acórdão no Diário Eletrônico do TCE.

O Diario de Londrina

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Em sessão secreta, deputados rejeitam continuidade de ação penal contra Richa pelo STJ

Em duas sessões extraordinárias realizadas secretamente na manhã desta quarta-feira (19), os deputados estaduais indeferiram o pedido de autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para o processamento da Ação Penal contra o governador Beto Richa (PSDB). O pedido estava no projeto de resolução 19/2014, de autoria da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Foram 40 votos favoráveis, cinco votos contrários e uma abstenção.

De acordo com informações da Alep, as sessões foram realizadas secretamente em virtude da ação correr em Segredo de Justiça no STJ. Desta forma, após o resultado das votações, o pedido da Justiça está rejeitado no âmbito e atribuições do Legislativo. Também foi dispensado no projeto a redação final, após a segunda discussão, pois não houve emendas durante a tramitação.

O presidente da Alep, deputado Valdir Rossoni (PSDB), disse antes do início dos trabalhos que, embora entendesse não existir necessidade das sessões serem secretas, pois já houve prévia manifestação e explicação do governador sobre o assunto, a Casa respeitaria a determinação do Segredo de Justiça imposto ao proces

O Diario

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

O vice prefeito de São Jerônimo da Serra João Ricardo Mello (PPS), assume a prefeitura

O vice prefeito de São Jerônimo da Serra João Ricardo Mello (PPS), assumiu a prefeitura nesta segunda-feira (17) em solenidade realizada nesta manhã na Câmara de Vereadores, o prefeito eleito, Adir dos Santos Leite (PSDB), foi notificado do afastamento pela Câmara de Vereadores na ultima sexta-feira (14) onde responde por 3 CP na casa. 

Adir Leite está sendo investigado também pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) suspeito de desvio de dinheiro público. Em agosto, Adir dos Santos Leite pediu licença da prefeitura por sessenta dias onde voltou no dia 18 de outubro até a data de hoje 17 de novembro.

Câmara afasta prefeito de São Jerônimo da Serra

A Câmara Municipal de São Jerônimo da Serra conseguiu notificar na última sexta-feira o prefeito da cidade, Adir dos Santos Leite (PSDB), sobre a decisão para afastá-lo do cargo temporariamente, enquanto apura, em três Comissões Processantes (CP) já instauradas, se houve prática de infração político-administrativa, que podem resultar na cassação do mandato do tucano. Segundo o presidente do Legislativo, Alfredo Bernardo (PP), possivelmente hoje os vereadores farão uma cerimônia para que o vice-prefeito, João Ricardo de Mello (PPS), tome posse como chefe do Executivo. 

Adir já responde a processo criminal por supostamente chefiar uma quadrilha especializada em desviar dinheiro da Prefeitura de São Jerônimo por meio de licitações fraudulentas em seu governo, que começou em 2013. Por ter foro privilegiado, a denúncia feita pelo Ministério Público tramita no Tribunal de Justiça (TJ) do Paraná. São rés outras 39 pessoas, incluindo parentes do prefeito afastado, servidores e agentes políticos. 

O advogado de Adir, Maurício Carneiro, disse já ter protocolado no TJ Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra dispositivo da Lei Orgânica do Município que permite o afastamento cautelar pela Câmara. "É inconstitucional porque o município não pode legislar sobre matéria processual", comentou. Além disso, ele pretende ajuizar nova ação (mandado de segurança) para anular a decisão da Câmara e garantir que o prefeito permaneça do cargo. "Vamos fazer isso na segunda-feira (hoje)." Carneiro considera que "há mais de 20 ilegalidades em todas essas comissões processantes". "Há violações dos direitos do meu cliente." 

O afastamento de Adir foi aprovado por unanimidade entre os nove vereadores em duas da três CPs. A primeira votação ocorreu em 28 de outubro e a segunda na última terça-feira, mas a Câmara estava com dificuldade para localizar o prefeito. Na notificação entregue na sexta-feira, a Câmara também convoca Adir para prestar depoimento à segunda CP no dia 25, às 9 horas da manhã, data em que também serão ouvidas até dez testemunhas a serem escolhidas pelo prefeito afastado.
Loriane Comeli
Reportagem LocalFohaWeb